TV Endereçável: Seus Hábitos de Visualização como Ativos Políticos

A televisão sempre foi um importante veículo de comunicação para campanhas políticas. A ascensão das televisões com acesso à internet deu aos cabos eleitorais novas possibilidades de propaganda política e microdirecionamento, personalizáveis para cada telespectador.

O que é?

Nossos hábitos televisivos se tornaram uma valiosa moeda de troca política devido às mudanças na entrega do conteúdo e no papel dos dados pessoais no processo. Juntos, esses dois avanços fazem a TV com acesso à internet — comumente chamada de "TV Avançada" — possível.

O que você assiste ou lê online criou muitas oportunidades diferentes para obtenção de inteligência e desenvolvimento de influência para campanhas políticas e grupos de interesses específicos que estão ansiosos por saber mais sobre você. Dados dos seus hábitos de visualizações e leituras revelam uma riqueza de informações sobre suas preferências, interesses, estilo de vida e convicções, todos dos quais as entidades políticas podem se aproveitar nas suas campanhas. O uso da TV Avançada (algumas vezes chamada de tecnologia de SmartTV) na coleta de inteligência politica e a envio desses dados via "Direcionamento de TV Avançada", ou "TV Endereçável", é particularmente interessante porque a prática não é bem conhecida e a maioria dos telespectadores não está consciente de que isso existe.

Mudanças no Consumo e Anúncio nas TVs

Como a tecnologia evoluiu, nossos hábitos de consumo midiático também. Hoje em dia, a indústria da publicidade define dois tipos de televisão:

  • TV Linear (TV por radiodifusão ou conteúdo push, n.d.t - do inglês empurrar): segue um cronograma definido e inclui intervalos comerciais preestabelecidos. Conteúdos de TV Linear incluem os programas de TV a cabo e a TV aberta. Alguém que liga sua TV, explora os canais disponíveis em número limitado e sintoniza em algo que está sendo transmitido nesse momento está consumindo conteúdo de forma linear.

  • TV Avançada: Cada vez mais, a TV é consumida de formas não-lineares nas quais o conteúdo é consumido de maneira mais flexível (sob demanda ou conteúdo acessado). Os telespectadores escolhem1 o que querem assistir, quando e através de que plataforma. Há uma grande variedade de mecanismos dos quais os usuários podem acessar conteúdo OTT (over-the-top, n.d.t. - chamam-se "over the top" as plataformas de distribuição que servem seus conteúdos como séries e filmes pela internet. Elas têm esse nome pois "over the top" significa "acima do topo", "em cima", e esse conteúdo é distribuído "em cima" da internet), deixando de lado os controladores e distribuidores de mídia tradicionais. Todos esses serviços funcionam pelo transporte de conteúdo pela internet, de um provedor a um dispositivo fora das redes de cabo, empresas de telecomunicações e outras redes fechadas. Exemplos incluem:

• Conteúdo consumido em celulares, tablets e computadores (ex: Hulu, Netflix, Amazon Video, YouTubeTV, aplicativos como WatchESPN)

• SmartTVs e TVs conectadas

• Decodificadores (ex: Roku, AppleTV)

• Consoles de videogames (ex: PlayStation, Xbox One)

Os modelos de negócios para esses serviços variam de assinaturas a sistemas de pagamento conforme uso.

A TV Avançada permite aos realizadores de campanha que direcionem propagandas com a mesma precisão daquelas entregues através da internet, exibidas no celular e enviadas por correio convencional. Anúncios via TV Avançada — o que a indústria chama de "TV Endereçável" — é a próxima geração de propaganda televisiva. A TV Endereçável permite que anúncios sejam direcionados a famílias específicas ao invés de por meio de dados demográficos sem discriminação dentro de cidades e estados, como o anúncio de TV tradicional.

O quão relevante é isso e onde está sendo usado?

A liberdade oferecida por modelos de consumo não-lineares tem levado a uma forte adoção de aparelhos OTT (aqueles cujos serviços são entregues pela Internet) ao redor do mundo. A Interactive Advertsing Bureau (IAB, n.d.t - Escritório de Publicidade Interativa) relatou que 56%2 das TVs de consumidores estadunidenses são conectadas por IP e que o consumo não-linear está aumentando. Nos últimos anos, líderes comerciais estadunidenses têm discutido oportunidades de expansão3 da TV Endereçável para fora dos Estados Unidos.

A Liberty Global, uma empresa que alega ser a maior empresa internacional de TV a cabo, começou a lançar decodificadores no mercado global, incluindo na Alemanha, Áustria, Bélgica, Chile, Eslováquia, Hungria, Países Baixos, Polônia, Porto Rico, Reino Unido, República Tcheca e Romênia.1

Serviços de TV relacionados à internet também foram introduzidos na Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Canadá, Cazaquistão, China, Croácia, Colômbia, Dinamarca, El Salvador, Eslovênia, Estônia, Filipinas, Finlândia, Geórgia, Grécia, Guatemala, Honduras, Índia, Islândia, Letônia, Lituânia, Macedônia, Malásia, Moldávia, Mongólia, Montenegro, Nicarágua, Noruega, Paquistão, República Dominicana, Sérvia, Sri Lanka, Suécia, Turquia e Usbequistão.

Especialistas prevêem4 que a TV com acesso à internet se expandirá mais rapidamente na região Ásia Pacífico, no Oriente Médio e na América Latina, onde a maior parte do crescimento de assinantes provavelmente vai ocorrer. O mercado global está crescendo a uma taxa sem precedentes e espera-se que atinja quase 80 bilhões de dólares5 em 2020 e 117 bilhões6 em 2025, devido à alta demanda.

As oportunidades de propaganda, por sua vez, prosperaram dramaticamente.7Espera-se que os "gastos [com anúncios] em OTT atinjam8 os $40 bilhões até 2020", de acordo com a IAB. Os dados desses decodificadores podem gerar novos conjuntos de dados e enriquecer dados já existentes e provenientes de outras fontes, os quais podem, por sua vez, atrair os interesses de campanhas políticas fora dos EUA. Empresas têm um incentivo para aguçar os interesses das campanhas em anúncios endereçáveis. Como Warren Schlichting, o vice presidente de vendas midiáticas na Dish Network comentou,9 "Gastos políticos estão crescendo rapidamente e isso nos permite ir atrás de um novo dinheiro."

Como isso funciona e como seus dados são usados?

Os dados que podem ser coletados da audiência de TVs Avançadas criaram novas oportunidades para anunciantes, para os quais o trabalho é alimentado por dados. Como Brian Gleason, CEO da empresa global de mídia digital Xasis, declarou,10 "Dados de eleitores são a essência dos anúncios políticos... Por trazer estes dados para o espaço digital, nós chegamos a um nível totalmente novo de sofisticação para anunciantes políticos..."

what-is-advanced-tv

A The Trade Desk, uma empresa de anúncios para múltiplos dispositivos, publicou esta pequena introdução à TV Avançada no contexto de campanhas políticas. (n.d.t. - O texto indica que os padrões dos espectadores estão mudando e e são muito fragmentados. Por isso, o texto indica não perder tempo com uma ampla audiência, e sim focar em telespectadores específicos. Ainda menciona que essa nova interação entre TV e internet permite que anunciantes relacionem o quanto sua propaganda faz com que espectadores visitem seu website e que ações tomam lá. E por fim afirma que isso é melhor para nunciantes, que podem buscar os usuários certos, e espectadores, que passam a ter uma "melhor experiência de usuário" pelo conteúdo maispersonalizado). Fonte

A próxima geração de anúncios televisivos é chamada de "endereçável" porque agora, mais do que nunca, os anunciantes têm tanto a informação quanto a tecnologia disponível para abordar as necessidades e desejos de usuários individuais. O direcionamento de anúncios na TV Endereçável pode acontecer de diferentes maneiras (linear/ao vivo, gravação ou on-demand), através de decodificadores, cabos ou IPTV (expressão que designa TV por protocolo de internet - IP, a entrega do conteúdo televisivo através da internet).

As pessoas estão pedindo pelo fim do big data, mas os dados de audiência dos decodificadores, combinados aos dados de eleitores, dão informações reais e precisas sobre o que os eleitores selecionados estão assistindo. - Tim Kay,11 Diretor de Estratégia Política da NCC Media (n.d.t - a expressão "big data" refere-se à area do conhecimento que trata de quantidades muito grandes de dados através de uma abordagem não tradicional, que não conseguiria analisar tantos dados.)

A TV Avançada alcança precisão a nível de domicílios individuais através da coleta e análise de dados dos seus usuários. Os dados envolvidos vêm de três fontes:

• Dados próprios: dados internos que o anunciante coletou de você. Isso pode incluir, por exemplo, quais comerciais você assistiu e quais acelerou ou se é mais receptivo a anúncios com imagem ou mais cheios de texto.
    			
    			• Dados de parceiros: esses dados englobam informações de parceiros e afiliados com os quais os dados são compartilhados (veja o Estudo de Caso: D2 Media Sales).
    			
    			• Dados de terceiros: dados adquiridos de uma fonte12 diferente (ex., Acxiom, Experian, LiveRamp, Neustar ou outras empresas especializadas em dados políticos). 
    			

Essas informações variam amplamente, mas em contextos políticos geralmente incluem quanto você pode ser persuadido e o quão propício você é a comparecer às urnas. Todos esses dados pessoais, demográficos, geográficos e comportamentais são acumulados e analisados afim de determinar se você é um bom candidato para uma propaganda e como responde a ela.

setTopBoxExplainer.png

_O esquema acima mostra um exemplo de como propagandas endereçáveis são entregues a lares individuais. O site da D2 Media Sales declara: "Os receptores decodificadores nas casas de assinantes da DIRECTV e da DISH são como mini computadores. Atributos específicos daquele assinante, de arquivos de eleitores e demográficos, são carregados no aparelho. Uma vez que um anunciante seleciona um público alvo, nós então somos capazes de entregar um comercial específico para aquela família durante a propaganda enquanto eles assistem à TV. A informação que somos capazes de fornecer nos bastidores é mais completa do que qualquer coisa já vista em relatórios pós-campanha da TV." Na prática, anúncios televisivos são usados para complementar emails diretos de campanhas e intervenções no celular, computador, rádio digital e outra mídias. (n.d.t - a imagem explica como funciona o processo de entrega de propagandas individuais: 1. Com base nos dados primários, secundários e de terceiros é escolhido o público-alvo de tal anúncio. 2. As famílias são "preparadas" para receberem os anúncios. Elas recebem o anúncio após o decodificador mandar um sinal de satélite, o qual é notificado para exibir o anúncio em determinado horário. 3. Os anúncios são exibidos. 4. O resultados são enviados para a entidade que contratou o serviço e são comparados com os dados já coletados anteriormente. Esses resultados servem de entrada para a próxima campanha) Fontes: Adapted from Experian Addressable TV, IAB Advanced TV Targeting, e D2 Media Sales_

Como a Experian anuncia13 em seu documento técnico sobre a TV Endereçável, "A TV Endereçável é sobre a pessoa, não o programa. Você e seu vizinho ao lado podem estar assistindo ao mesmo programa, mas com o poder da TV Endereçável, isso resulta em diferentes anúncios." O slogan do relatório é: "Aproveite o poder dos dados da audiência para direcionamento individual."

O CEO da Cablevision, Ben Tatta, jogou luz sobre o uso de TV Endereçável pelas campanhas neste vídeo, gravado em abril de 2016.



Estudo de Caso: D2 Media Sales

Em 2014, a Dish Network, uma empresa americana de TV via satélite, e a DIRECTV, uma subsidiária da AT&T, fizeram parceria para formar a D2 Media Sales, que então era "a maior14 plataforma de anúncios para TVs endereçáveis domésticas" nos Estados Unidos. A plataforma da D2 Media Sales entrega anúncios endereçáveis para aproximadamente 22 milhões15 de residências. A empresa firmou parcerias com provedores de dados entre os dois principais partidos políticos americanos, incluindo o i360, que serve às campanhas do Partido Republicano, e o TargetSmart, que atende aos candidatos de centro-esquerda. Em 2016, a D2 Media Sales forneceu anúncios de TV endereçável para mais de16 100 campanhas políticas.

D2-media-sales-1.png

D2-media-sales-2.png

D2-media-sales-3.png

D2-media-sales-4.png

Essas capturas de tela tiradas do site da D2 Media Sales prometem aos clientes a habilidade de "alcançar apenas os eleitores que você quiser", minimizando, assim, os gastos, e aumentando a eficiência dos anúncios, uma das maiores vantagens da publicidade com TV endereçável. O Diretor de Vendas de Anúncios Políticos relatou que cada vez mais "campanhas [estão] nos trazendo seus próprios arquivos de dados de eleitores... para servir anúncios àquelas casas específicas em suas listas de arquivos de eleitores." Fonte, Source

A D2 Media Sales também mantém uma parceria com a Deep Root Analytics, uma empresa americana de análises de mídia que atende as campanhas do Partido Republicano.

D2-deep-root-1.png

D2-deep-root-2

As imagens acima, tiradas de um comunicado da Deep Root Analytics, mostram os 26 segmentos de audiência que a empresa forneceu para a D2 Media. Os dados provavelmente englobam as 22 milhões de residências da D2 Media. ("GOTV" na segunda coluna é uma abreviação comum para "Get Out The Vote). (n.d.t. - GOTV é uma campanha de incentivo aos eleitores a votarem em países onde essa prática é facultativa, como, por exemplo, nos Estados Unidos. Na segunda imagem, podem ser lidos os 26 segmentos de audiência, essencialmente baseados em convicções políticas ou características como gênero, idade e categoria de trabalho).

Caso de Estudo: Altice Media Solutions A Altice Media Solutions, uma empresa de anúncio digital cujos clientes variam entre empresas da Fortune 500 e negócios locais, também oferece serviços de anúncios de TV endereçável para campanhas políticas.

altice-1 altice-2

A Altice Media Solutions oferece a habilidade de direcionar a eleitores via TV endereçável usando não apenas dados demográficos básicos, mas também origem étnica e hábitos de compra, entre outros. Sua empresa-mãe oferece serviços de mídia nos Estados Unidos, na Europa Ocidental, em Israel e territórios no exterior. (n.d.t - na segunda imagem é mostrado uma lista de atributos usados para definir um público alvo, como dados eleitorais, geográficos, demográficos, de estilo de vida, econômicos, de hábitos televisivos e de compras, étnicos, comportamentais, ocupacionais e centenas de outros mais). Fonte, Source


Isso é novidade?

Embora o termo "Direcionamento a TV Avançada" tenha sido introduzido17 pela primeira vez em 1990 no MIT Media Lab, a prática até recentemente não tinha ganhado impulso. Três fatores18 se uniram para facilitar a adoção de anúncios de TV Endereçável: o ciclo das eleições americanas de 2016 e a procura por uma vantagem competitiva; a infraestrutura tecnológica e o avanço das capacidades de agências de publicidade; e - possivelmente uma tendência de prazo maior - a "consolidação da indústria de mídia." Como a quantidade de conteúdo enviado através de IP, OTT e plataformas on-demand alcançou uma massa crítica, a TV Endereçável se tornou uma opção viável para estrategistas políticos. De fato, de acordo com a D2 Media Sales, "o ciclo de eleições presidenciais de 2016 [foi] o primeiro19 [presidencial] no qual campanhas foram capazes de mirar em eleitores com anúncios de televisão endereçável." Entre os ciclos eleitorais estadunidenses de 2014 e 2016, o uso de TV Endereçável amentou cerca de 60%.20

Por que deveríamos nos importar?

Enquanto empresas que oferecem serviços de TV Endereçável alegam que isso pode fortalecer o processo democrático pela melhora da eficiência de campanhas políticas e pela promoção da participação política, isso também traz riscos. Na verdade, tanto a Alemanha quantos os Países Baixos reconheceram a delicadeza das informações pessoais processadas pela TV Avançada e instituíram o direito de assistir de forma anônima entre outras ações de fiscalização.21 Enquanto as regulamentações locais variam, a diferença, geralmente ampla, entre práticas midiáticas e proteção de dados apresenta uma série de preocupações.

Defensores dos anúncios de TV Endereçável promovem a capacidade de exibir diferentes anúncios para vizinhos que moram na mesma rua. Enquanto essa tecnologia pode ser vantajosa para vender alguns bens e serviços, os custos dessa personalização em campanhas políticas são diferentes. O alcance a nível domiciliar de anúncios políticos pode facilmente levar a um desgaste da esfera pública, pois os eleitores individuais poderem entender os candidatos e suas campanhas de forma diferente baseados nas informações que lhes foram repassadas. Além disso, "Durante a maior parte de uma campanha, você quer mirar em eleitores persuadíveis,22 "como declarou o CEO da HaystaqDNA, Ken Strasma. Como resultado, alguns eleitores, que acredita-se serem impersuadíveis, podem ser inteiramente negligenciados se campanhas políticas os julgarem um uso improdutivo de recursos de campanha.

Além disso, os anúncios servidos para as famílias refletem o entendimento das campanhas sobre os indivíduos que vivem nessas casas, conhecimento esse que pode ser obtido através de meios invasivos ou que comprometem a privacidade. Quando eleitores são incluídos em campanhas publicitárias, anúncios endereçáveis são um símbolo de "uma mudança de identificar grupos para identificar pessoas",23 como disse o presidente e CEO da agência de mídia digital Bully Pulpit Interactive. Ademais, os dados dos anunciantes sobre residências individuais - mesmo que diretamente observados ou previstos - podem ser inexatos ou ultrapassados, levando a perfis políticos e campanhas de publicidade que não se adequam (na melhor das hipóteses) ou claramente prejudiciais (na pior das hipóteses) para os eleitores.

Além do mais, a maioria dos telespectadores não consideram que seus hábitos de visualização e preferências podem ser — e são — usados para moldar a forma que campanhas políticas se comunicam com eles e os persuadem. Provavelmente isso daria um bom programa de TV, mas o que estaria sendo revelado sobre você ao assistir isso?


Varoon Bashyakarla é um cientista e pesquisador do coletivo Tactical Technology. Suas experiências estatísticas passadas lhe deram uma variedade de domínios: saúde pública, segurança pública, esportes, finanças e segurança digital. Após ter trabalhado como cientista de dados no Vale do Silício, ele está agora morando em Berlim e descobrindo como informações pessoais são usadas para fins políticos.


Texto traduzido pela equipe da EITCHA a partir de: Addressable TV: Your Viewing Habits as Political Assets


1 As declarações no Q4 da Liberty Global refletiram24 um aumento de aproximadamente 200% na receita da América Latina e Caribe, o que levou o preço de suas ações a subir cerca de 15% em um único dia. A empresa ganhou cerca de 100.000 novos clientes na América Latina e no Caribe só em 2016.↩


Agradecimentos a Christy Lange, Stephanie Hankey, Amber Macintyre e Daisy Kidd por seus comentários perspicazes. Um agradecimento especial a Gary Wright por sua assistência técnica postando esse artigo online.


1 Adam Lowy and Doug Fleming, "A Guide to Advanced TV Targeting", IAB - Empowering the Marketing and Media Industries to Thrive in the Digital Economy, 20 de fevereiro de 2018, https://www.iab.com/news/advanced-tv-targeting-guide. 2 Adam Lowy and Doug Fleming, "A Guide to Advanced TV Targeting", IAB - Empowering the Marketing and Media Industries to Thrive in the Digital Economy, 20 de fevereiro de 2018, https://www.iab.com/news/advanced-tv-targeting-guide. 3 BeetTV, "Liberty Global's Paul: Focus On 'Attention Economics,' Not Just Consumption", acessado em 22 de dezembro de 2020, https://www.youtube.com/watch?v=c5hpSHqgvpw. 4 BROADBAND TV NEWS CORRESPONDENT, "IPTV market to reach $79.38 billion in 2020", Broadband TV News Correspondent, 9 de fevereiro de 2015, https://www.broadbandtvnews.com/2015/02/09/iptv-market-reach-79-38-billion-in-2020/. 5 "Global IPTV market to triple in value by 2020", The Broadcast Bridge, 10 de fevereiro de 2015, https://www.thebroadcastbridge.com/content/entry/1546/global-iptv-market-value-20206. 6 Troy Dreier, "Global IPTV Market to Reach $117.1B by 2025 Due to Surging Demand", Streaming Media Europe, 4 de abril de 2018, https://www.streamingmediaglobal.com/Articles/News/Featured-News/Global-IPTV-Market-to-Reach-$117.1B-by-2025-Due-to-Surging-Demand-124219.aspx. 7 smpteconnect, "ATSC 3.0", acessado em 22 de dezembro de 2020, https://www.youtube.com/watch?v=CAiQVRFFh84. 8 Adam Lowy and Doug Fleming, "A Guide to Advanced TV Targeting", IAB - Empowering the Marketing and Media Industries to Thrive in the Digital Economy, 20 de fevereiro de 2018, https://www.iab.com/news/advanced-tv-targeting-guide. 9 Jeanine Poggi, "Dish and DirecTV Combine Addresable Ad Efforts for Political Campaigns", acessado 22 de dezembro de 2020. https://adage.com/article/media/dish-directv-team-addressable-ad-efforts/291303. 10 Scott Parkhouse, "Xaxis Brings Programmatic Edge to Political Advertising with "Xaxis Politics"", Mobile Advertising Watch, 10 de novembro de 2015, https://web.archive.org/web/20190806122858/https://mobileadvertisingwatch.com/xaxis-brings-programmatic-edge-to-political-advertising-with-xaxis-politics-20731. (n.d.t. - link recuperado do dia 6 de agosto de 2019 através da ferramenta Wayback Machine). 11 Sean J. Miller, "Local Cable and the Future of Campaign Media Strategy", Campaigns&Elections, 24 de março de 2017, https://www.campaignsandelections.com/campaign-insider/local-cable-and-the-future-of-campaign-media-strategy. 12 "Inside Addressable TV: How It Works", Eyeview, 8 de junho de 2017, https://web.archive.org/web/20190806123705/https://www.eyeviewdigital.com/resource/inside-addressable-tv-how-it-works/. (n.d.t. - link recuperado do dia 6 de agosto de 2019 através da ferramenta Wayback Machine). 13 "Addressable TV: Harness the power of audience data for one-to-one targeting", acessado 5 de março 2019. https://www.experian.com/assets/ marketing-services/white-papers/audience-iq-addressable-tv-wp.pdf. 14 Meg James, ‘DirecTV, Dish Network to Vie for Political Cash with Customized Ads’, latimes.com, accessed 5 March 2019, https://www.latimes.com/entertainment/envelope/cotown/la-et-ct-politicalads-satellite-directv-dish-network-20140819-story.html. 15 Deep Root Analytics, "Deep Root Analytics Teams Up With D2 Media Sales to Offer 26 Propietary Political & Advocacy Audience Segments to Target TV Ads to Dish & DirecTV Households", Deep Root, 15 de setembro de 2016, https://www.deeprootanalytics.com/2016/09/15/deep-root-analytics-teams-up-with-d2-media-sales-to-offer-26-proprietary-political-advocacy-audience-segments-to-target-tv-ads-to-dish-directv-households/. 16 Steve Ellwanger, "DISH & DirecTV Venture (D2 Media) Provides Addressable TV Ads For More Than 100 Political Campaigns In 2016 – Beet.TV", acessado 5 de março de 2019, https://www.beet.tv/2016/09/mark-failla.html. 17 Adam Lowy and Doug Fleming, "A Guide to Advanced TV Targeting", IAB - Empowering the Marketing and Media Industries to Thrive in the Digital Economy, 20 de fevereiro de 2018, https://www.iab.com/news/advanced-tv-targeting-guide. 18 "AOL: We’ll Reach the Tipping Point for Addressable TV This Year | MediaVillage", acessado 5 de março de 2019, https://www.mediavillage.com/article/aol-well-reach-the-tipping-point-foraddressable-tv-this-year/. 19 Steve Ellwanger, "DISH & DirecTV Venture (D2 Media) Provides Addressable TV Ads For More Than 100 Political Campaigns In 2016 – Beet.TV", acessado 5 de março de 2019, https://www.beet.tv/2016/09/mark-failla.html. 20 Ross Benes, "Targeted TV Ads Find Niche in Political Campaigns", Digiday (blog), 2 de dezembro de 2016, https://digiday.com/media/targeted-politics-ads/. 21 Kristina Irion and Natali Helberger, "Smart TV and the Online Media Sector: User Privacy in View of Changing Market Realities", Telecommunications Policy 41, no. 3 (1 April 2017): 170–84, https://doi.org/10.1016/j.telpol.2016.12.013. 22 Ross Benes, "Targeted TV Ads Find Niche in Political Campaigns", Digiday (blog), 2 de dezembro de 2016, https://digiday.com/media/targeted-politics-ads/. 23 Philip Elliot, "New Political TV Ads Can Target Individual Homes | PBS NewsHour", acessado 5 de março de 2019, https://www.pbs.org/newshour/nation/new-political-tv-ads-can-targetindividual-homes. 24 Laurie Fullerton, "Liberty Global eyes 2017 addressable TV roll out in LatAm with ‘attention economics’ as a USP", 21 de março de 2017, The Drum, https://www.thedrum.com/news/2017/03/21/liberty-global-eyes-2017-addressable-tv-roll-out-latam-with-attention-economics-usp.