Telefonemas Automáticos e Mensagens Celulares: Divulgação automatizada de campanha

"Parecia uma verdadeira invasão... Minha primeira reação foi, quem é esse? Como eles sabem meu nome? Como eles conseguiram meu número de celular?" - Comentário de um destinatário de chamada automática como repetido no The New York Times1.

O que são chamadas automáticas e mensagens celulares?*

O método, há muito tempo consolidado, de realização de diversas ligações telefônicas para engajar eleitores evoluiu: os avanços tecnológicos permitiram que esta técnica bem estabelecida fosse usada em um escopo e escala mais ampla do que nunca. A crescente acessibilidade dos dados dos eleitores agora oferece mais formas de os serviços de telefonemas automáticos e mensagens de texto** engajarem e analisarem eleitores. Essas ferramentas também podem ser usadas para coletar dados adicionais dos eleitores, como sua probabilidade de participar de um evento de campanha ou sua posição sobre uma questão específica ou candidato.

Telefonemas automatizados: Um serviço de telefonemas automatizados disca automaticamente uma lista de números de telefone para entregar uma mensagem pré-gravada ou, em cenários mais tecnicamente avançados, até mesmo conduzir uma chamada em tempo real. Além disso, essas funções avançadas permitem uma maior segmentação do eleitor através da realização de pesquisas e enquetes2. Junto com a realização de telefonemas realizados por voluntários, as chamadas automáticas são ferramentas essenciais para campanhas que buscam promover um candidato ou partido.

Mensagens de texto : Como telefonemas automatizados, mensagens celulares são usadas para transmitir diretamente uma mensagem política ou uma chamada à ação para os celulares ou dispositivos dos eleitores. As campanhas também podem usar plataformas de mensagens como o Whatsapp3 ou SMS peer-to-peer4 (em oposição a mensagens em massa - n.d.t. "peer-to-peer" pode ser traduzido como "par a par", quando algo é realizado por indivíduos semelhantes, como o caso dos SMS enviados por celulares. Também chamados de P2P) para iniciar conversas entre voluntários de campanha e eleitores, bem como para administrar pesquisas e enquetes.

Como seus dados são usados?

Tanto chamadas quanto mensagens de texto têm como objetivo entrar em contato com você da forma mais direta possível, usando um dos seus dados pessoais mais vinculativos: seu número de telefone. Para construir relações diretas de forma rápida e econômica, campanhas políticas podem alimentar seus arquivos de eleitores internos ou dados comprados para um provedor de serviços orientado por dados, que os ajuda a discar automaticamente números de telefone e entregar mensagens. Muitas dessas empresas também vendem conjuntos de dados com curadoria de números de telefone de eleitores. Campanhas em muitos países dependem desses serviços (bem como números de telefone contribuídos por membros do partido) em suas campanhas de divulgação, especialmente aqueles que usam plataformas de mensagens de grande escala, como o Whatsapp.

Os serviços orientados por dados estão se tornando a espinha dorsal tecnológica do contato telefônico em campanhas modernas. Como tal, eles são muitas vezes integrados nas ofertas de fornecedores de telefonemas automatizados. Por exemplo, a empresa Robocent ​5 anuncia "dados confiáveis do eleitor por apenas 3 centavos por registro6", incluindo dados como nomes completos, endereços completos, afiliação política (deduzida da filiação partidária ou outros indicadores), idade, gênero, jurisdição de voto, endereços de e-mail, número de telefone fixo, celular e informações demográficas tais como etnia, língua falada e educação.

5_19-us-state-voter-list

Uma captura de tela de uma solicitação de dados do eleitor no site do Robocent com filtros para localização, dados demográficos e números de telefone.
Fonte:‘Request Data’, RoboCent, Inc. (blog), acessado 20 de fevereiro de 2019.

Os serviços de mensagens de texto são semelhantes no ponto em que também obtêm e utilizam números de telefone celular de listas de eleitores existentes ou arquivos de eleitores de sua prórpia fonte. Serviços como o uCampaign7, o Rumbleup8 e o Relay9 anunciam poder usar as listas de contatos de seus clientes em uma campanha de mensagens de texto e até mesmo contatar "indivíduos que foram previstos serem prováveis doadores/apoiadores de sua causa10". Esses serviços também podem fornecer números de telefone para partidos políticos. O Relay, por exemplo, permite que os dados sejam importados de terceiros, fornecedores de arquivos de eleitores e bancos de dados de eleitores, como NGP VAN11 e Political Data Inc12.

Os serviços de ligações automatizadas e mensagens de texto estabelecem uma conversa bidirecional que ajuda os candidatos a coletar mais informações das pessoas que eles estão alcançando. Ambas as abordagens buscam coletar dados de eleitores e segmentar e quantificar os mesmos para o benefício da campanha. O objetivo dessas técnicas é envolver o eleitor na conversa e aprender mais sobre suas opiniões através de perguntas pré-definidas, que podem ser colocadas por um humano, por uma máquina ou por uma combinação dos dois. As chamadas automáticas podem implementar enquetes e pesquisas pedindo aos destinatários de chamadas para usar seu teclado ou voz para responder perguntas. Esses dados podem ser rapidamente processados ​​para aprimorar os ativos de dados de campanhas e plataformas de dados de eleitores, como NGP VAN13. No campo das mensagens de texto, o produto Mobile Messaging (n.d.t. - que pode ser traduzido como "Mensagens para Celulares" ou "Mensagens Móveis") da Upland Software14, por exemplo, tem um recurso "Tell-a-Friend", (n.d.t - "Conte-para-um-Amigo) que foi usado em pelo menos uma campanha política, no qual "os alunos podiam enviar mensagens de texto com o número de telefone de seus amigos para convidá-los para entrar na lista de celulares".15 O software de marketing de SMS da Callhub.io16 anuncia uma solução "expansiva" de coleta de dados baseada em SMS, na qual o software "reunirá automaticamente informações [do eleitor] por meio de uma sequência de mensagens de texto interativas e criará perfis de contato detalhados para cada apoiador", bem como vários outros métodos para coletar e analisar dados automaticamente para fins de campanha.

5_19-us-state-voter-list

Uma descrição das técnicas para a aquisição de dados de eleitores através de serviços de mensagens de texto, conforme anunciado pelo Callhub.
Fonte:‘ ‘SMS Data Collection’, CallHub (blog), acessado 13 de Fevereiro de 2019.

Alguns exemplos

No Canadá: Embora o uso de dados pessoais em campanhas políticas com ligações automatizadas e mensagens de texto seja uma prática comum, raramente recebe atenção da mídia até que a informação do eleitor seja mal utilizada ou o conteúdo das chamadas provoque indignação. Os dados dos eleitores foram usados ​​indevidamente nas eleições federais do Canadá de 2011, quando residentes em vários distritos eleitorais foram submetidos a uma campanha de supressão17 de eleitores impulsionada por chamadas automáticas que espalhavam informações erradas sobre as assembleias de voto e locais de votação no dia da eleição. Os tribunais eventualmente decidiram que "a fonte mais provável da informação usada para fazer as chamadas enganosas era o banco de dados CIMS,18 mantido e controlado pelo Partido Conservador do Canadá, acessado para esse fim por uma ou mais pessoas atualmente desconhecidas". Em 2014, um ex-funcionário do Partido Conservador foi considerado culpado de violar a Lei de Eleições do Canadá por seu envolvimento no escândalo de desinformação por chamada automática. O funcionário havia feito milhares de ligações automáticas para eleitores19 em Guelph, Ontário, com um telefone celular descartável20.

Na Índia: Em um esforço para reduzir a exclusão digital na Índia, o estado de Chhattisgarh lançou um plano em grande escala para conectar parte de sua população, fornecendo, gratuitamente, smartphones básicos para estudantes e mulheres. Na corrida para as eleições de 2019, foi relatado que esses telefones emitidos pelo governo estavam sendo alvo de ligações da campanha política do Ministro-Chefe do estado e do Partido Bharatiya Janata (BJP). O relatório sugere que estes telefonemas automáticos direcionados aos eleitores, que incluía pesquisas e mensagens GOTV (mensagens encorajando ao voto), vinha de uma central de atendimento previamente contratada pelo governo estadual e que agora estava sendo usada para atividades políticas em nome de um único cliente. Além disso, os dados coletados pela campanha de ligações automáticas foram analisados ​​a fim de "orientar os ativistas do partido a visitar os eleitores21" com tendências políticas ao Partido do Congresso Nacional Indiano, de oposição. Em resposta, o Partido do Congresso apresentou queixas à comissão eleitoral do país, argumentando que o BJP estava utilizando dados do governo sobre eleitores em benefício de sua própria campanha.

Na Malásia: Os relatórios sobre o uso intenso de dados eleitorais na corrida para as eleições de 2018 na Malásia incluíram referências a telefonemas políticos automáticos. Um relatório para a Tactical Tech22 detalha vários casos de eleitores sendo contatados por telefone pelo "National Census Department" (n.d.t. - que pode ser traduzido para "Departamento Nacional do Censo"). No entanto, esse departamento não existe na Malásia. Contudo, o chamador foi capaz de identificar o eleitor por nome e língua regional e fez perguntas de levantamento sobre o governo atual e as atitudes em relação à oposição. Em outro caso, uma entrevistada afirmou que ela havia sido contatada por um dos principais call centers da Malásia, por uma pessoa desconhecida perguntando sobre suas preferências de voto, local de voto e razões para votar. Ainda não está claro qual partido político ou entidade encomendou essas pesquisas por ligações automáticas, como os dados de contato do eleitor foram obtidos ou como os resultados das chamadas seriam processados.

No Reino Unido: Durante o referendo de adesão à União Europeia do Reino Unido de 2016 a parceira de campanha da Leave.EU (n.d.t. - "Leave.EU" é uma combinaçao da expressão "leave", significando "deixar" ou "partir", e a sigla EU, de União Europeia), Better for the Country Ltd (n.d.t. - que significa "melhor para o país"), enviou mensagens de texto para mais de 500.000 números de telefone celular de eleitores do Reino Unido. O The Guardian relatou que esses números de telefones celulares foram obtidos de eleitores que consentiram em receber mensagens de texto sobre lazer, melhorias na casa e seguros. Em 2016, o Gabinete do Comissário de Informação do Reino Unido multou a campanha da Leave.EU em £50.000 por essa campanha de mesagens em massa23, por não obter o consentimento claro desses eleitores. Como sei se está sendo usado em mim?

Em geral, não é difícil dizer se você está sendo alvo de uma campanha de ligações eletrônicas ou mensagens de texto baseada em dados: os eleitores perceberão suas caixas de entrada e telefones bombardeados por mensagens políticas de candidatos ou causas.

O contato direto e em massa com o eleitor por meio de telefonemas automáticos e mensagens de texto é frequentemente regulamentado pelas leis locais de proteção ao consumidor, para permitir o contato somente quando o consentimento for dado. No entanto, esses regulamentos podem variar em termos de quais definições são aplicadas a esses métodos de alcance eleitoral. A transmissão de mensagens de campanhas eleitorais, por exemplo, costuma ser menos regulada do que as iniciativas de vendas24.

5_19-us-state-voter-list

Uma captura de tela dos serviços de chamada automática anunciados pelo NGP VAN, um sistema de gerenciamento de dados usado pelos democratas nos EUA.
Fonte: NGP VAN, ‘Campaign Phone Tools’, acessado 28 de Fevereiro de 2019.

Apesar dessas restrições, os serviços de ligação automática e mensagens de texto dos Estados Unidos encontraram maneiras de explorar brechas na legislação. Por exemplo, mensagens de texto automatizadas "arremessadas" não são permitidas sem consentimento expresso prévio: "um ser humano deve estar presente para 'enviar' em cada texto não solicitado"25, de acordo com a Comissão Federal de Comunicações. Os serviços de mensagens par-a-par (P2P) contornam essas regras confiando no fato de que há um cabo eleitoral real envolvido em uma conversa direta com o eleitor alvo. Assim, não é considerado uma "mensagem automática26", mesmo quando envolve o envio de respostas enlatadas em massa para milhares de telefones de eleitores.

Da mesma forma, a Robocent oferece sua versão de "tecnologia de correio de voz sem toque", que permite que uma mensagem pré-gravada seja entregue ao correio de voz sem que o dispositivo realmente toque, e anuncia que o serviço "abre a porta para mais de 300 milhões de assinantes móveis"27. A Comissão Federal de Comunicações ainda não se pronunciou sobre a legalidade da tecnologia28.

Considerações

↘ Os telefonemas e mensagens de texto automatizados utilizam diretamente os dados pessoais do eleitor e se relacionam intimamente com o eleitor para entregar materiais e mensagens de campanha e conduzir pesquisas e enquetes.

↘ Telefonemas e mensagens de texto automatizados podem ser considerados meios de comunicação direta entre políticos/partidos e eleitores - uma possibilidade que só recentemente surgiu em grande escala.29 Essa relação pode até mesmo se estender para além da temporada de campanha, para manter o engajamento com os eleitores,30 como no caso dos políticos da Malásia enviando saudações de aniversários ou em datas comemorativas aos apoiadores.

↘ No entanto, telefonemas e mensagens de texto automatizados em campanhas políticas podem exacerbar a questão do aumento da segmentação e perfilamento do eleitorado.

↘ Há evidências crescentes de que o envio de mensagens de texto contribui para a proliferação de desinformação e notícias falsas durante o curso de uma campanha eleitoral, como na corrida para as eleições de 2019 na Nigéria31, ou o golpe baseado em SMS identificado pela Élections Québec em 2018 que fraudulentamente, prometeu pagamento por apoio político32.

5_19-us-state-voter-list

Uma captura de tela da conta do Twitter de Élections Québec alertando os eleitores contra o envio de mensagens de texto fraudulentas aos eleitores.
Fonte: Québec, Élections. “Important! Un faux message texte circule présente-ment. Sachez qu’en aucun cas, Élections Québec ne demanderaitune rétribution ou n’offrirait une rémunération liée à l’exercice du droit de vote aux élections générales. En cas de doute 1 888 353-2846. #polqc #QC2018 RTSVPpic.twitter.com/krHf3718Mx.” Tweet. @electionsquebec (blog), 30 de Setembro de 2018.

↘ Telefonemas automáticos também podem ser usados ​​para fins nefastos, como os casos durante as eleições de meio de mandato dos EUA de 2018, no qual um podcast de supremacistas brancos iniciou chamadas automatizadas para eleitores na Flórida e na Geórgia apresentando mensagens racistas33 e anti-semitas34 direcionadas aos candidatos afro-americanos de cada estado.

  • As tecnologias examinadas aqui são propositadamente centradas em exemplos estadunidenses, a fim de mostrar alguns dos usos mais irrestritos dos dados do eleitor. Essas práticas podem estar sujeitas a diferentes regulamentos de proteção de dados e privacidade em diferentes países. Diferentes contextos eleitorais também mudam a ênfase de algumas tecnologias em relação a outras. Por exemplo, embora as mensagens de texto baseadas em SMS permaneçam populares nos EUA devido em grande parte aos custos historicamente baixos por SMS, plataformas de mensagens como o WhatsApp são muito mais proeminentes em outros países.

** Às vezes, é simplesmente referido como SMS em materiais promocionais, consulte "I Will Run Marketplace35", acessado em 8 de fevereiro de 2019. Nesta peça, "mensagens de texto" (texting) se refere a uma categoria geral, contendo subcategorias como "SMS em massa/mensagens automáticas", mensagens de texto P2P via SMS ou plataformas de mensagens como o WhatsApp.

Autoria: Gary Wright

Texto traduzido pela equipe da EITCHA a partir de: Robocalls and Mobile Texting: Automated campaign outreach​​​​​​​

Referências:

1 Kevin Roose, "Campaigns Enter Texting Era With a Plea: Will U Vote 4 Me?", The New York Times, acessado dia 27 de dezembro de 2020, https://www.nytimes.com/2018/08/01/technology/campaign-text-messages.html 2 "Push Polls And Surveys", Robocent, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://web.archive.org/web/20200529224449/https://robocent.com/services/push-polls-surveys/ 3 Twilio, página inial da Twilio, acessado dia 28 de dezembro de 2020 https://www.twilio.com/ 4 Patrick O'keefe, "How P2P Texting is Revolutionizing Politics", Political Moneyball, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://medium.com/political-moneyball/how-p2p-texting-is-revolutionizing-politics-bfe697c2abb8 5 "Political Phone Marketing Starting at 1¢", Robocent, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://robocent.com/ 6 "Voter Data", Robocent, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://robocent.com/voter-data/ 7 "Customizable iOS/Android Apps that deliver really awesome results for causes like yours", uCampaign, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://ucampaign.co/ 8 Nick S, "The Leading Peer-To-Peer Texting Platform", Rumble Up, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://rumbleup.com/ 9 Patrick O'keefe, "How P2P Texting is Revolutionizing Politics", Political Moneyball, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://medium.com/political-moneyball/how-p2p-texting-is-revolutionizing-politics-bfe697c2abb8 10 Nick S, "The Leading Peer-To-Peer Texting Platform", Rumble Up, acessado dia 28 de dezembro de 2020, https://rumbleup.com/
11 Chaterine Aronson, "Contact import - "pull" a list from van via the external contact list page", Thru Text, acessado dia 29 de dezembro de 2020, https://help.thrutext.io/support/solutions/articles/44001063789-van-integration-contact-import 12 Toni Susi, "PDI integration guide - thrutext", Thru Text, acessado dia 29 de dezembro de 2020, https://help.thrutext.io/support/solutions/articles/44001063796-pdi-integration 13 "Online Contributions", NGP VAN, acessado dia 29 de dezembro de 2020, https://www.ngpvan.com/feature/online-contributions 14 Upland, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://uplandsoftware.com/ 15 "Wendy Davis for Governor Campaign", Upland, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://uplandsoftware.com/mobile-messaging/resources/case-study/wendy-davis-governor-campaign/ 16 "SMS and Text Message Marketing to connect with people on the go", acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://callhub.io/sms-marketing-software/ 17 Laura Payton, "Federal Court won't remove MPs over election robocalls", CBC, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://www.cbc.ca/news/politics/federal-court-wont-remove-mps-over-election-robocalls-1.1331781 18 Colin J. Bennett e Robin M. Bayley, "The Influence Industry Data Analytics In Canadian Elections, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://cdn.ttc.io/s/ourdataourselves.tacticaltech.org/ttc-influence-industry-canada.pdf 19 "Michael Sona guilty in robocalls trial - but 'did not likely act alone", CBC, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://www.cbc.ca/news/politics/michael-sona-guilty-in-robocalls-trial-but-did-not-likely-act-alone-1.2735676 20 Canada.com, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://o.canada.com/ 21 Vindu Goel e Suhasini Raj, "In 'Digital India', Government Hands Out Free Phones to Win Votes", The New York Times, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://www.nytimes.com/2018/11/18/technology/india-government-free-phones-election.html 22 Boo-Su-Lyn, "The Influence Industry Voter Data in Malaysia's 2018 Elections, Tactical Tech, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://cdn.ttc.io/s/ourdataourselves.tacticaltech.org/ttc-influence-industry-malaysia.pdf 23 "Leave. EU campaign fined £50,000 for sending spam texts", The Guardian, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://www.theguardian.com/media/2016/may/11/leave-eu-campaign-fined-50000-for-sending-spam-texts 24 "Rules for Political Campaign Calls and Texts", FCC, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://www.fcc.gov/rules-political-campaign-calls-and-texts 25 Damon Casarez, "Why Politicians Are Texting You So Much — And It’s Only the Beginning", TIME, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://time.com/5432309/politician-campaigns-midterm-election-text-messages/ 26 "TCPA Attorney - Are Unsolicited Political Text Messages Illegal?", Tatango, acessado dia 09 de janeiro de 2021. https://www.youtube.com/watch?v=GQygZftJ6LI 27 Robocent, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://robocent.com/call-marketing/rvms/ 28 David Klein, "Court Says that Ringless Voicemail Messages are TCPA Calls", KMT, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://kleinmoynihan.com/court-says-that-ringless-voicemail-messages-are-tcpa-calls/ 29 Call Hub, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://callhub.io/ 30 "WhatsApp: The Widespread Use of WhatsApp in Political Campaigning in the Global South", Tactical Tech, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://ourdataourselves.tacticaltech.org/posts/whatsapp/ 31Jamie Hitchen, Jonathan Fisher, Nic Cheeseman e Idayat Hassan, "How WhatsApp influenced Nigeria’s recent election — and what it taught us about ‘fake news.", The Washington Post, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://www.washingtonpost.com/news/monkey-cage/wp/2019/02/15/its-nigerias-first-whatsapp-election-heres-what-were-learning-about-how-fake-news-spreads/ 32 "Voters warned of fraudulent text messages promising payment for supporting CAQ", CBC, acessado dia 09 de janeiro de 2021​​​​​​​https://www.cbc.ca/news/canada/montreal/fraudulent-texts-election-quebec-1.4914208 33 Justin Wise, "Gillum targeted by new racist robocall in Florida: report", The Hill, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://thehill.com/homenews/campaign/412782-gillum-targeted-by-new-racist-robocall-attacking-him-as-a-negro 34 Emily Birnbaum, "Stacey Abrams, Oprah targeted by racist robocall funded by white supremacist group", The Hill, acessado dia 09 de janeiro de 2021 https://thehill.com/homenews/campaign/414703-abrams-targeted-by-racist-robocall-in-georgia 35 Democrats, acessado dia 09 de janeiro de 2021, https://democrats.org/